terça-feira, 30 de junho de 2009

Jantar a luz de velas


Bela moça está morta, e eu a devorei. O que resta dela está apodrecendo em algum lugar num caixão de pinho, enquanto eu tenho a oportunidade de estar sentado aqui no terraço, apreciando minha bebida e olhando para você. Corrija-me se eu estiver sendo presunçoso, mas acho que tive um fim melhor que o dela.

Só de olhar, posso dizer que você não está entendendo. Claro que não — estamos numa época cínica e racional. E você não vai acreditar que eu a devorei porque estou dizendo. Há um século atrás isso seria

diferente.

Ela teria centenas de nomes se eu acreditasse numa palavra dela. Mascarada com perfume da paixão... ela guarda espectros mais fascinantes e imediatos que qualquer cena de filme.

Ela era uma combustão espontânea.

Fico me perguntando o que ela fez para merecer tal destino...condenada ao inferno.

Sempre com uma voz cantada e um andar dançante, ela parece uma abelha rainha escolhendo seu zangão. Era uma quimera transformando-se em tudo que pertence ao fimamento. Era uma divindade que não conhecia o significado da verdade ou a muito o tinha esquecido.

Então a Besta acordou. A Besta vive em um lugar que não é bom para a imaginação e não traz sonhos repousantes a noite. A Besta não é do feitio das coisas do mundo de deus. É alguma coisa de outro lugar.

A Besta é uma constante de instinto camuflada de tudo que é e foi selvagem.

Foi quando a devorei.

Bebi seu sangue.

Lambi sua carne.

Roí seu osso. E desse eu chupei até a ultima gota de sua alma.

A quimera despediu-se com uma gargalhada azeda de se escutar...

Não ouve sabor de vitoria no final.

Na noite sem lua tudo mudou, mas continuava igual.

De uma coisa não existe a menor duvida sobre a quimera.

Eu sentiria saudades sua até sem a conhecer.

6 comentários:

Sara disse...

Muito bom yargo. Vc ta botando pra fuder ultimamente.

Iza disse...

algumas coisas são inevitáveis.
como envelhecer...
como sentir fome...
como ter espinhas na adolescência...
se apaixonar...
ser devorada...
devorar alguém...
e morrer ou ser morta.

sentir saudade é só um dos muitos começos... ou fins.

PS: lisonjeio ver uma frase do meu blog finalizando esse belíssimo post.

=***

Vivi Floripi disse...

BELO JANTAR!
já estava com saudades daqui...
espero q não tenha me esquecido. mudei... mas não mudei muito...
voltarei.

L. Freire disse...

Muito bom.
Tem um tempo que eu venho lendo o seu blog e eu realmente gostei, o jeito que você escreve é bem intenso. da pra sentir mesmo o texto.( Não sei se vc entendeu o que eu quis dizer,mas tudo bem).
xD

Pamela disse...

Faminto como sempre...
devorou mais uma?

quantas mais vc pretende devorar?


=****

Alexandre Henrique. disse...

A inocência serve para limpar os dentes.

Grande Lobo.