quinta-feira, 15 de maio de 2008

As boas intenções sempre pavimentaram a estrada pro inferno.


Você é mesmo um moribundo filho-da-puta, yarguim.
Mas é a vida, né? Cheia de altos e baixos, idas e vindas...
A gente joga com as cartas que tem nas mãos. E um homem esperto sempre carrega um par de ases na manga.
Lembrando que carta nenhuma no mundo lhe ajuda quando se sente um gosto no ar parecido com ferro quente.
A única alternativa é se acovardar, ficar anônimo.
Bem, não da para ficar mais anônimo do que bebendo no buteco atrás da sua casa. É preciso de anonimato... pelo menos, ate descobrir qual é minha situação atual.
Mesmo se acabei de salvar o mundo praticamente sozinho.
Mas é absolutamente normal isso, nem serve pra se sentir especial.
Acontece quando você chega perto demais do fogo...
Principalmente se sua vida parecer com um Natal no Afeganistão..
Na falta de outra coisa, é melhor aproveitar... me bronzear e respirar um pouco de ar marinho.
Quem sabe...? talvez minha pele melhore...
Se deitar e fechar os olhos, é bastante agradável.
O mar desdentado lambendo...uma velha praia de açúcar.
Vozes de criança ao vento... pipas distantes, altas, puxadas através do céu.
Quase da pra admirar as crianças...mas sempre tem uns pivetes pentelhos...
Incrível! Não temos dinheiro pra manter o planeta limpo... mas dá pra comprar uns brinquedinhos pros meninos!
Malditos pivetes, deviam crescer e arrumar namoradas.
Como eu. Eu tive algumas namoradas, mas fui descuidado... as perdi... as matei.
Mudando de assunto...
Merda! Vem vindo alguém...
As vezes, se você fechar seus olhos e ficar imóvel, pode ficar invisível.
Avestruzes sabem disso.
Pessoas...muitas pessoas...o problema do mundo é esse...são muitas pessoas.
Meu deus! Estamos todos condenados, não é mesmo?
A espécie inteira está migrando pro inferno nas férias.
Nossas penas azedas e ensangüentadas não nos deixam mudar de rota.
Quero voar alto, confiante e livre.
Quero encarar o olho quente do sol.
Porque nesse mundo, há dragões rompendo suas cascas...
E anunciando seu nascimento com horríveis gritos incandescentes...
Linguas-de-fogo golpeando como num duelo de espadas... lambendo o mundo até virar cinzas...
Jogando os nossos sonhos... quebrados, queimados e ensangüentados... à terra nua.
Gritando:
“CAIAM!”
Mudos de medo, assistimos insensíveis enquanto o novo animal estica suas asas como cortinas sobre o mundo...

6 comentários:

Ellen Fernandes disse...

Estava com saudades dos seus textos....!!!!

Lindinho..Invisibilidade é uma das coisas mais desejadas, será que queremos tanto desvendar algo ou sumir?

Vc não precisa sumir...mesmo q nao percebe logo surgirá nova inspiração!!!

Tenha um ótimo fds....

Bjinhos Tetéio..kkkk

Sara disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sara disse...

\O/

Sara disse...

MORIBUNDO - Esta alma, meu amigo, é o que a natureza desejou que fosse, isto é, o resultado dos órgãos com que me formou em razão de suas metas e necessidades; e como ela necessita igualmente de virtudes e de vícios, quando quis levar-me às primeiras, ela o fez, e quando desejou conduzir-me aos segundos, inspirou-me tais desejos aos quais entreguei-me do mesmo modo. Toma apenas essas leis como a única causa de nossa inconseqüência humana, e não estabeleça para elas outros princípios que suas vontades e necessidades.

PADRE — Sendo assim, tudo é necessário no mundo.

MORIBUNDO — Seguramente.

PADRE — Mas se tudo é necessário, não está tudo regulado?

MORIBUNDO — Quem diz o contrário?

PADRE — E quem pode regular tudo como está a não ser uma mão onipotente e sábia?

MORIBUNDO — Não é necessário que a pólvora inflame ao se lhe atear fogo?

PADRE — Sim.

MORIBUNDO — E que sabedoria vês nisso?

PADRE — Nenhuma.

MORIBUNDO — Portanto é possível haver coisas necessárias sem sabedoria, e possível, consequentemente, tudo derivar de uma causa primeira sem haver nessa causa razão ou sabedoria.

*Marquês de Sade meu fi.Xeruuuu!!

Iza. disse...

saudade do caralho disso aqui!!!!

pooorrra!
suas descrições imagináveis e aquele gosto de quero mais culpado na boca.
sempre me sinto culpada quando leio algo por aqui. sério. sem más interpretações da frase acima, faça o favor.

mas enfim, fodão seu texto!
adoro ver vc castigando o teclado do computador com suas emoções intensas.

beeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeijo

Samara Le Fay disse...

é..



digamos q qdo o inivisivel nos salta aos olhos pode ser tarde d+..
é. deve ser ser uma sensação fantásticaa voar nas costas d um dragão.. eles existiram..



=*