quinta-feira, 10 de abril de 2008

Correndo, correndo e correndo no escuro.


Uma bexiga cheia é o alarme mais insistente conhecido pelo homem.
Bebi vinho demais nesse dia...de novo.
Mas isso é que é vida. Eu gostava dali.
Podia acabar me acostumando.
Me esqueci de como o mundo pode ser calmo ao amanhecer. Na cidade não há mágica. Momentos congelados para a terra chamar de seus.
Não há um espaço calmo reservado para trégua...quando o tempo é suspenso entre galhos estáticos capturado.
Quieto.
Se, pelo menos, eu pudesse aprender a ignorar aquela voz sinistra de filme lado B que murmura...
“Lá fora sempre tem um bicho na maçã...uma cobra na grama.”
E como é que dizem...? Céu vermelho de manhã...
De repente, o relógio do planeta recomeça. O pássaro alça vôo e a donzela sai dos arbustos, andando macio até a água...feito uma gazela.
Beleza plástica é quesito que nunca chamou minha atenção mas eu quis ser superficial.
Sua pele tem cheiro de protetor solar, sua alma tem cheiro de segredos dos quais não participo e suas palavras cheiram a Martini.
Deve ser a hora da caça.
Agora eu estou olhando pra ela, sentindo aquela fome...aquela tensão predatória acumulada...
Comporte-se, yargo!
O que você é...um homem ou um animal?
Então é assim? Esse animal está dentro de todos nós...o rabo dando chicotadas no escuro...esperando por aquele dia em que iremos nos distrair e deixar ele sair?
É melhor encarar, brother. O único bicho na maçã aqui é você. Não tinha o menor direito de entrar na cabeça dela. Isso foi querer se aproveitar...nem um pouco melhor do que um estupro.
Ela era muito frágil, não conseguiu nem se defender de minhas insinuações montadas e velhas clichês frases de efeito.
Você não pode gostar das pessoas se não as respeitar.
Ah, bem...não adianta chorar agora. É melhor eu sair um pouco por aí sozinho, e tirar isso do meu sistema.
Seja lá o que for.
Afinal, como um amigo meu disse a pouco tempo; “se ta na fossa é pra sentir cheiro de merda né?”
Isso faz de mim o bunda suja...e, com a minha performance nesse dia, não posso discordar.
No alto, o vento rápido empurra os cumes das arvores...galhos reclamando com uma lenta fricção de madeira em madeira.
Eu penso...penso que talvez, por um momento ou dois o sr. Destino fosse um escroto.
Que talvez o assalariado, broxa e com câncer no cu que cuida do meu destino fosse um psicopata balançando um berço.
Por que tudo tem que ser incoerente?
Por que nossas mães não nos salvam?
Por que o inferno nos chama?
A escolha é nossa. Ou nos destruímos com raiva, devorados pela necessidade desesperada de auxilio...
Ou aceitamos o inevitável...que estamos totalmente sozinhos.
Poxa, bonito isso que eu falei.
Mas ainda acho patético.
Não me querem mais ali...estraguei tudo de novo.
Estranho que geralmente minhas mascaras demoram um pouco mais pra cair.
Expulso do paraíso...irônico, não?
De volta a velha puta, a velha cidade.
A velha puta compreendendo pouco, destruindo tudo o que não compreende...sendo alimentada e derrotada por sua ignorância.
Eu amo a velha puta.
O melhor que eu posso fazer é voltar pros meus cigarros e minhas doses generosas de Gin. Por que vinho não da pra mim, a natureza sempre chama...a mãe dela não gosta de mim mesmo e mijar escondido é foda!

6 comentários:

Ellen Fernandes disse...

Yargo...simplesmnte adorei o texto, esta muito sincero, acho que o amor anda confundindo sua cabeça..

Ha vezes em que é melhor não pensar no que fez...ta feito msmo..e dane-se o resto!

Lais disse...

se voce tivesse pedido ela teria deixado voce entrar na cabeça dela

cheiro de martini?
amei

Samara Le Fay disse...

eu ia comentar com vc q parecia ressaca de vinho.. de beber 3 copos d'água.
procure a árvore mais simpática, ué..
a de seiva mais bruta.
homem e animal, ora bolas. :) n seja tão extremista.. seja vc. uno, com ambos os lados a flor da pele..
pele..
you're not alone.
:*********

Iza. disse...

ahahhahahahha
ótimo texto cheri!
irônia fina!

a velha puta é indispensável. acredite. você acorda todos os dias ao lado dela, a remela, os olhos inxados e aquela mesma cara te encarando sempre. as mesmas frases. aquela intimidade cotidiana.
indispensável!

vc se cansa dela...
mas sempre regressa.
incrível!
adorei o texto querido!

beijo

Sara disse...

SHuashUASHAUSHaushu...
Caraca, eu queria que não acabasse.Muito foda!!!Sincero demais.Tais andando se castigando Yarguim?Ou só inconformado mesmo?Ou os dois? rs =*******

israel disse...

pois e brother.. o sr destino sempre a nos pregar as piores das peças..

apesar de patetico, oq vc falou e a mais pura verdade, no fim sempre acabamos com o sra solidao, ela sempre a nos acompanhar e acalentar nossas pobres almas a perambular por dentro da velha puta..

mas e aquela historia, sem dor nao existira redençao ..

abraço cara!!

ate mais